13 de maio de 2012

Batman: O longo dia das bruxas (Edição definitiva)

Título: Batman: o longo dia das bruxas. (Edição definitiva).
Narradores: LOEB, Jeph e SALE, Tim.
Panini Comics - 2008c
(ISBN): 978 85 735 435 3




Como todo bom e velho quadrinho do Batman, iniciamos nossa leitura em meio as sombras corruptiveis de Gotham City sempre com uma dúvida persistente se o homem morcego será bem sucedido em seu propósito de vencer o crime.

Esta série do Batmam tem o hábito de me furtar o folégo não só pelos traços/detalhes ou pelo jogos das cores quase escassos que podem - propositalmente ou não- representar a sujeita na qual Gotham está mergulhada, mas pelo fato de os narradores terem condensado todos os personagens que tem ou tiveram algum significado na essencia da construção do personagem BATMAN que conheçemos hoje.


Em O longo dia das bruxas conhecemos o Gordon maduro que acredita na causa e tenta desmanchar a trama que engole a população de Gotham, conhecemos Harvey que dá indícios de estar se corrompendo devido as inúmeras decepções e , vemos um Bruce humano, que é seduzido pela Era venenosa e no auge de seu enfeitiçamento, comete erros que o colocam atrás das grades.
Mais um assassino maluco ameaça a luta do triangulo Harvey, Gordon e Batman. Feriado, como é apelidado pelos jornais da cidade, ataca em datas especiais, envolvendo a cidade em uma névoa de dúvidas e assombramento, criando o caos entre as gangues que dominam Gotham e deixando a polícia local ainda mais aprenciava a cada nova festividade. É claro que o surgimento de um novo lunático desperta o 'medo' dos vilões tão conhecidos de Gotham.
Uma investigação constante, seguida de muitas reviravoltas e cenas que poderiam ser expostas em museus de obra de arte, é o que torna a edição definitiva de BATMAN: o longo dia das bruxas tão especial e excitante.





"É um épico de crime. Jeph Loeb fez esse incrível trabalho de pegar os elementos mais exóticos do universo do Batman e colocá-los num mundo mais plausivel. Pegou personagens de suporte e os insuflou com vida e emoções reais. E consequêcias reais para as suas ações. Isso teve um impacto enorme nos leitores. O longo dia das Bruxas é mais do que uma história em quadrinhos, é uma tragédia épica."
- Christopher Nolan.




DICA : Uma olhada com direito a reprise para a cena em que FALCONI entra em sua sala e encontra SOLOMOM GRUNDY, CORINGA, HERA VENENOSA, CHAPELEIRO MALUCO, PINGUIM, ESPANTALHO, DUAS CARAS e MULHER GATO o aguardando. Nada como um bom encontro de crápulas para animar os leitores. :D



Espero que gostem da dica,
'I believe in Gotham City'

Beijos Beatri.X

6 de maio de 2012

A Rainha de Jansi.

Livro: A Rainha de Jansi: o grande romance da Índia dos marajás.
Autor: De Gréce, Michel.  -   Editora: Best Seller.
(ISBN) 85 71230595 




A leitura desta obra de De Gréce é independente dos teus conhecimentos históricos da época em que o enredo se passa - Índia, século 19 - porém, é interessante, após a leitura, ao realizar umas pesquisas curiosas, constatar o quão rica de detalhes é a obra. De Gréce discorre sobre o 'curto' reinado de Lakshmi, suas paixões e decisões durante a Revolta dos Sipaios e os ataques dos Ingleses em retaliação.


Há uma vasta biografia INGLESA que fala sobre Jansi, relatando o povo e a sua raní como barbáros sanguinolentos, porem, neste obra vemos os desentendidos à que esse povo foi submetido e como uma rainha que se apaixonou por um oficial ingles, é tida como a responsável por um massacre que não cometeu.

Um história que mescla a imundice de um reinado de ambição, intrigas e poderes políticos da época em que a Índia era vista como 'colônia' Britânica, com uma mulher que ao assumir o trono, tentou plantar a paz com os ingleses, rebeldes e outros marajás, porém apenas recebeu os frutos amargos da guerra, da miséria e da morte injusta.

A Raní era uma mulher forte, que nunca se permitiu humilhar. Apesar de os ingleses a terem destronado, ainda foi em socorro de suas mulheres e crianças durante a revolta, tentado protegê-los. Uma rainha que foi ao campo de batalha, se tornou general e estrategista, se banhou de sangue inimigo em nome de seu povo, que apenas pedia por paz e respeito cultural.

Abaixo um trecho retirado do livro, dialogo entre um dos líderes da revolta - que invadiu o catela da Raní à fazendo refem :


"O chefe Kala Khan, adiantou-se:
- .... A raní nos dará dinheiro. Nós o merecemos. Nós....
Com um gesto, a raní o interrompeu:
- Vocês são perjuros, ladrões e assassinos. Vocês assassinaram os ingleses, apunhalaram pelas costas... assassinaram inocentes, mulheres e crianças e agora só pensam em pilhar e roubar seus próprios irmãos de raça. Podem me ameaçar e até matar, não obterão nada de mim. "



Espero que gostem da dica.
Beijos Beatri.x